O que os Homens pensam sobre as Mulheres

O que os Homens pensam sobre as Mulheres

Silvia Bruno Securato (extraído do Livro Nós, Mulheres Desafios e Conquistas dos Novos Tempos vol. 03)

Convido-as a analisar o que pensa a geração masculina pós queima dos soutiens, embora não tenha deixado de lado aqueles que acompanham, passo a passo , as repentinas e evolutivas mudanças.

Toda mulher se interessa em saber o que eles , homens , pensam sobre nós, mulheres.

Para elaborar esse capitulo , entrevistei alguns homens das faixas etárias dos vinte aos noventa aninhos, sendo , porém , em maior numero os de 25 aos 40 anos. Dei preferencia a essa faixa etária , justamente para analisarmos juntas (os) o que pensa a geração pós queima dos soutiens, embora não tenha deixado de lado aquele  que acompanharam, passo a passo, as repentinas e evolutivas  mudanças. Minha intenção foi perceber como os homens de gerações anteriores reagiram diante do novo comportamento da mulher na família , na sociedade e no mercado de trabalho. E, ainda , observar o que os mais jovens sentem, pensam e como reagem diante dessa realidade mais próxima deles , embora muitos possam fazer comparações entre os modelos femininos de suas famílias e os da nova geração.

Parti do principio que meninos e meninas , nascidos a partir dos anos 60, se não receberam uma educação com menores diferenças em casa , ao menos convivem socialmente com um modelo diferente daquele da juventude de seus pais. Por exemplo: o casamento deixou de ser visto como profissão única para as mulheres. Embora o casamento faça parte dos projetos futuros dos pais em relação às filhas – e delas próprias – há um forte incentivo, em primeiro lugar, para os estudos e escolha de uma carreira.

Concentrei-me em observar se meninos e meninas estão sendo educados da mesma maneira ou num mesmo patamar. Será que a educação família/escola mudou, ou chegou próxima dessa expectativa? A sociedade até bem pouco tempo basicamente patriarcal, estaria apresentando novas perspectivas, dando margem ao equilíbrio masculino e feminino?Tendo como base essas hipóteses , elaborei algumas perguntas e parti a campo.

Encontrei a mais diversas reações. Foi bem mais interessante e surpreendente do que eu imaginava. Alguns homens ficaram nervosos em relação a determinadas perguntas; outros pediram sigilo; outros se contradiziam ;outros , ainda , estufavam o peito como pombos e , embora jovens, colocaram-se , lamentavelmente , na velha postura machista e – para minha surpresa ! – mais machistas dos que os mais velhos.

Para melhor avaliarmos as opiniões , tendo em vista a diferença de gerações , considerei dois grupos:

  • Grupo A : composto por homens entre os 45 e 93 anos.
  • Grupo B : homens entre 25 e 44 anos , nascidos , portanto , a partir dos anos 60. Todos pertencentes à classe média e alta. Entre eles, temos engenheiros , advogados, publicitários , administradores de empresas, economistas , professores e comerciantes. Na maioria , são casados ou em vias de casar-se e dois divorciados.

Iniciei as entrevistas indagando: Você considera saudáveis as mudanças ocorridas no Universo Feminino?

O Grupo A considerou que sim: Acho ótimo as Mulheres participarem de todas as atividades na sociedade , ao passo que , no passado, elas não tinham essas oportunidades. Outro entrevistado comentou que : as mudanças vinham ocorrendo , lentamente , há algum tempo, e, na nossa época, houve a explosão final, principalmente por causa do avanço tecnológico.

No Grupo B , a maioria afirmou que sim, embora acreditem que ainda é necessário que a mulher se prepare melhor para essas mudanças, efetivas por ela própria. Apenas dois discordaram, acrescentando: Não , pela maneira em que ela se encaminharam e outro , considerando essas mudanças péssimas, explica: Entendo que, contemporaneamente, as mulheres ganharam o poder da palavra na sociedade moderna e, concomitantemente , desperdiçaram sua chance de se impor.

Para complementar essa questão , indaguei : Quais seriam os aspectos positivos e negativos decorrentes dessas mudanças?

O Grupo A respondeu como positivos a atuação na sociedade em geral: maior liberdade, acesso a estudos  e mercado     de trabalho, maior poder de decisão. Alguns observaram que , atualmente , está difícil construir e manter uma família, sendo , portanto, necessária a contribuição da mulher na renda mensal.

Entre os aspectos negativos, o mesmo Grupo respondeu : a perda da feminilidade , na sua maioria, e uma certa preocupação com a inversão dos papéis, tendo em vista a possibilidade do autoritarismo das mulheres emergir e dominar o homem. Um deles acrescenta : O homem já percebeu essa tendência e se mostra muito incomodado.

O Grupo B apontou como aspecto positivo a igualdade : Entre os positivos , destaca-se a maior igualdade entre homens e mulheres. Mas ainda há espaço para avanços, pois há poucas mulheres no topo da hierarquia corporativa. Entendo que isso se deve à dedicação da mulher para a família, licença maternidade , etc… Vale notar que nos países que a mulher tem uma participação menos na família, como nos EUA, há mais mulheres de destaque na sociedade. Outro entrevistado acredita  que os aspectos positivos ressaltam mais  do que os negativos: Acredito que haja mais aspectos positivos do que negativos: em decorrência destas mudanças , os homens também tiveram que se adequar a esta nova mulher, mais politizada, mais ativa e participativa em sua própria vida; os homens assim, tiveram que ficar mais sensíveis. Mas…atenção! Homens ainda são de Marte e mulheres são de Vênus! Somente um afirmou : Os efeitos positivos são poucos percebidos pelos homens.

Como aspecto negativo, uma das respostas salienta: as mulheres continuam exigindo regalias antigas, mesmo reivindicando igualdade. Em outras palavras , a igualdade é exigida quando lhes convém, e quando não lhes convém , não há uma grande preocupação em manter padrões de igualdade. Os outros apontam , de maneira geral : a falta de romantismo , a perda da feminilidade, os relacionamentos inconstante    e a falta de tempo para a mulher dedicar-se à família. Um deles lamenta: A mulher deixou de ser feminina.

Percebi que o conceito feminino, em ambos os grupos , foi definido pela minoria como característica natural da mulher e, pela maioria , como normas estabelecidas pela sociedade. Alguns homens se queixam que a mulheres não são mais tão femininas, apontando esse fato como algo negativo. Nota-se um vazio ora sentimental, ora nostálgico , ora um certo receio da perda da autoridade.

A pergunta seguinte foi em ralação ao profissionalismo: Há diferenças no mundo contemporâneo, em relação à ação profissional entre homens e mulheres?

Dentro do grupo A , a maioria respondeu: nenhuma , embora não tenha sido fácil quebrar as barreiras culturais. Entre eles há a observação de que , dependendo da profissão, um ou outro pode ser mais capacitado. Outro, embora tenha confirmado que conhecera muitas engenheiras capacitadas tempos atrás , afirma, categoricamente, que a mulher ainda não ganhou o nível de inteligência do homem, em oposição a uma outra colocação totalmente oposta: as mulheres estão avançando muito mais do que os homens. E completa rindo: O homem vai sumir?

Os do Grupo B , na sua maioria , evidenciaram as dificuldades competitivas: as mulheres competem em desvantagem e, mesmo assim, chegaram aonde chegaram. A outra opinião complementa : As empresa modernas valorizam muito mais o potencial da pessoa , não se importando se é homem ou mulher; o mais competente prevalece. Outro entrevistado afirma que o relacionamento entre homens e mulheres está cada vez mais sadio, havendo mais respeito e profissionalismo, lembrando que a questão dos assédios sexuais, tão questionados até o final da década de 80, foi superada. Complementa dizendo: Nas sociedades machistas, predominante latinas, é cada vez mais comum haver mulheres em posição de comando – veja a nossa prefeita!- o que foi considerado embaraçoso no passado.

Ao indagar : Como você se comporta diante da “ nova mulher”? Prefere manter a tradição de gerações anteriores – lembra da Rainha do Lar? – ou está pronto para aceitar e adequar-se ao novo perfil Digo adequar-se , porque muitos homens somente aceitam , mas não participam da divisão dos trabalhos domésticos e cuidados com os filhos.

No Grupo A , as opiniões estão divididas. É importante ressaltar que as esposas dos entrevistados nesse Grupo , na maioria , nunca trabalharam fora do lar ou , se trabalharam , foi somente por um período.

Nesse mesmo grupo, entre os mais tradicionais e que acreditam que no lar já há trabalho em demasia, temos a afirmação : As mulheres administram melhor  as tarefas domésticas e tem grande capacidade para suportar o choro das crianças durante a noite. Afirma que cozinha é até uma forma de lazer e completa : Lavo todas as louças do mundo para não ter que provar que sou bom pai dando de mamar duas vezes durante a noite. Outro observa ainda que , atualmente , o homem precisa mais da mulher no que se refere à ajuda  financeira , do que em tempos passados; porém , nem sempre estão dispostos a ajudar  com tarefas domésticas e conclui: É …mesmo tendo uma profissão , ela continua sendo a Rainha do Lar! Entre         os que concordam e aderem na divisão de trabalhos: atualmente , o mundo é outro e há um ‘ novo homem’, assim como há a ‘ nova mulher’; e os trabalhos , tanto profissional , como os domésticos, são partilhados pelos dois; mas é claro que existem alguns careta que querem ser o ‘ xerife do lar’.

O Grupo B, de maneira geral , afirmou não haver problema em dividir tarefas, lembrando que as parceiras desses entrevistados estão no mercado de trabalho : Compartilho totalmente com minha mulher nossa vida em comum, desde profissionalismo , até nos afazeres de casa e no acompanhamento do crescimento de nossos filhos. Não existe tarefa de homem e tarefa de mulher. A outra opinião positiva dá ênfase ao equilíbrio: Eu me sinto muito à vontade face à ‘nova mulher’. Gosto das mudanças e acho que , se conduzidas de uma forma equilibrada , são extremamente positivas .Não me incomodo nem um pouco em dividir os trabalhos domésticos. Acho que ambos  tem que contribuir para a manutenção do lar e a criação dos filhos. Outro  ressalta  o exemplo familiar. Particularmente prefiro a mulher com este novo perfil, pois sempre tive este exemplo dentro de casa.

Um dos entrevistados ‘ coroou” a mulher em todos os momentos: A nova mulher é um sonho. Algo que nós homens , jamais poderíamos imaginar. Agora, além de ser a Rainha do Lar são também A Rainha do Escritório, A Rainha do Estereótipo , A Rainha da Balada, A Rainha da Cerveja e outras tantas possíveis de enumerar.

Tendo em vista meus objetivos colocados acima , em relação à reação das famílias e sociedade na geração pós queima dos soutiens, perguntei: Até que ponto a educação recebida e/ou experiências familiares tem importância relevante no comportamento do homem frente às mulheres?

O Grupo A respondeu que a educação recebida é fundamental e reflete no comportamento futuro dos jovens: è de fundamental importância o preparo do jovem dentro do lar. Esse primeiro estágio irá refletir na sua personalidade em todas as fases de sua vida. No seu desenvolvimento cultural , se for bem orientado , ele terá mais afinidade com as Mulheres e saberá trata-las e repitá-las como seres do sexo oposto. Outro acrescenta: A experiência de uma infância feliz ao lado dos pais , avós e tudo o mais, faz com que o individuo que a viveu queira repeti-la, copiando o que seus pais fizeram. É crescer num saudável ambiente familiar que determina as chances de um bom comportamento conjugal. Somente um afirmou não ter nenhuma repercussão futura, na vida a dois.

O Grupo B afirmou que a educação recebida reflete no futuro de cada um e, principalmente, na qualidade do futuro relacionamento conjugal. Somente um deles questiona a pergunta sobre educação e acrescenta: Educação é um ponto controvertido na sociologia moderna. Já se entendeu que a educação era o fator determinante do comportamento das pessoas. Já se entendeu , em contra-partida , que a educação não era relevante , mas sim o ambiente externo ao ambiente educacional ( família, escola,etc.).Entretanto , pessoalmente , entendo que não é possível se proceder qualquer generalização, devendo prevalecer a análise singular , caso a caso. Outro dos entrevistados afirma: Se  o homem recebe uma criação machista, ele terá tendência a agir dessa forma. Mas acho também que este comportamento pode mudar devido à quantidade de informações que recebemos externamente.

Descreva “a  mulher ideal” segundo seu ponto de vista.

A maioria do Grupo A destacou o companheirismo como um dos aspectos mais importantes, associado à inteligência e a perspicácia. Menciono aqui uma das opiniões , com o entrevistado de 93 anos: Bela, inteligente, mas sem demonstra-lo demais; meiga, mas não humilde; sábia administradora , mas não avarenta; sempre pronta a aderir a uma novidade , sem espantar-se ; fiel, em modo absoluto , sem ser socialmente retraída. Enfim , a velha norma latina: in médium virtus. Que ame a leitura, o cinema, o teatro , festas, de acordo com as possibilidades. Que não seja ciumenta ; só um pouco, um pouquinho, pois o ciúme é como uma pitada de sal no casamento. Corajosa no momentos difíceis, sábia conselheira e de temperamento alegre. Que numa noite fria fique comigo no divan, ao meu lado, partilhando a mesma coberta, lendo em silencio. E, quando cansada , me leve ao nosso leito e se entregue em meus braços.

As respostas do Grupo B foram variada. Um deles diz: No meu ponto de vista , a mulher ideal tem que se companheira , bem humorada, divertida, vaidosa, fiel, com princípios e valores próximos aos meus , e, sem dúvida , bonita. Outro entrevistado afirma ser a inteligência : A principal qualidade que eu busco é inteligência. Adoro mulheres inteligentes. E completa a lista das qualidades acrescentando a determinação na carreira profissional; a conquista de espaços por méritos pessoais; o esforço para reconhecer e superar seus limites , erros e fraquezas e conclui ressaltando: Porém sem perder sua feminilidade, sua doçura , seu charme , mas que saiba ser dura na hora certa. Dois afirmaram não haver mulher ideal e outro deles acrescenta: Não existe mulher ideal ,assim como não existe ‘mulher’ no singular. São mulheres e é com elas que nos relacionamos.

Qual o seu conceito de beleza feminina?

A maioria , em ambos os Grupos , associou a beleza externa, cultura e educação como componentes desse conceito. O Grupo A descreveu suas esposas. Um deles colocou a elegância e cultura em primeiro lugre, em segundo , a beleza como um detalhe. Um dos entrevistados do B rebate a pergunta dizendo: Que é feminino? ( Inexiste “mulher”, disse Lacan).

Outra pergunta bastante importante que requer atenção: Quais os aspectos fundamentais para uma união saudável e duradoura?

As respostas, no Grupo A , giraram em torno do amor, da confiança , da transigência , idade e nível intelectual compatíveis. Entre as respostas dos que tem vivência no assunto, temos: Cumplicidade, paciência, compreensão e respeito. Outro complementa: Sem dúvida deve haver uma dose de atração sexual, o desejo mútuo de viverem juntos e,  igualmente importante, é o paralelismo: intelectual, social e educacional. A seguinte resposta destaca os elogios e o namoro constante: Um relacionamento é sempre difícil. É preciso que haja diálogo, complacência e carinho em abundancia. O elogia mútuo é fundamental. Elogiar sempre e em todas as situações é a melhor filosofia para um bom casamento. Quando se ama, deve-se elogiar dos pés à cabeça. O outro aspecto, igualmente importante, é viver o dia-a-dia como namorados.

Tendo em vista que o Grupo B é, na maioria, composto por solteiros, as expectativas giram em torno de valores considerados importantes para eles: compreensão e confiança. Um deles complementa: Amor, respeito, sacrifícios e diálogo.

Ao perguntar : O que os homens mais temem em relação às suas parceiras?

A maioria do Grupo A respondeu ser a traição em primeiro lugar. Um acrescenta a incompatibilidade de gênios e, outro, a intuição feminina: o sexto sentido da mulher. Isso a faz parecer um ser superior na esfera dos sentimentos.

As respostas dos integrantes do Grupo B foram bastante variadas. Entre elas: a absorção do lado negativo da igualdade; outro aponta  concorrência: O homem teme pela sua fraqueza. Não há nada de frágil no ‘sexo frágil ’; outro cita a ignorância : Acho que a ignorância é o pior mal que pode ocorrer em um casamento; as mulheres tem acompanhado a evolução dos tempos, tanto ou mais que os homens. Claro que a infidelidade também incomoda! Outro ainda, com muito senso de humor diz: Problemas virtuais. As mulheres criam problemas virtuais e demandam do homem uma solução. Como não temos, elas falam , e sem parar. Viva a Vida!

O que os homens querem, ou seja, o que é prioridade para um homem?

Entre os entrevistados do Grupo A, as respostas giraram em torno da questão familiar: ser amado; admirado; família bem construída, uma esposa que seja mulher , mãe e amante; sucesso profissional, estabilidade emocional e o diálogo. Um deles afirma saber bem o que quer, mas ressaltou que, pelo que vem observando, a maioria dos homens quer o poder e acrescenta: Nunca vi como homens se perdem diante do poder. O número de viúvas que nasce quando o homem chega lá é impressionante. Quando chega lá , ao invés de compartilhar o sucesso, a maioria esquece a grande alavanca que foi a mulher naquela empreitada e se enterra no seu novo brinquedo. Bobagem dar exemplos de cargos e postos; é quase a maioria absoluta. O ‘poder ter’, ‘mandar fazer e desfazer’ embriaga o homem, o que não tem o mesmo efeito nas mulheres. Elas são mais decentes do que os homens; preocupam-se e não querem anulá-lo.

A maioria dos entrevistados do Grupo B ressaltou o companheirismo de suas parceiras: Em relação à mulher , a prioridade é que ela seja amante e companheira. Somente um dos entrevistados cita a família: Existem várias prioridades , mas a mais importante é a família.

Em relação ao erotismo , a pergunta foi: O erotismo tem se alastrado cada vez mais. Como você vê essa tendência?

Para os homens do Grupo A, as opiniões foram variadas. A maioria acredita ser normal, desde que não haja vulgaridade. Alguns lamentam essa tendência crescente, e um acrescenta: Houve uma exaltação do erotismo de tal forma, que acabou sendo o pão de cada dia. E , com isso, está perdendo seu sabor.

Para o grupo B , na maioria, o erotismo é saudável e importante. Outros acrescentam: Acho normal a tendência do erotismo em uma sociedade de frustados.  Outro acrescenta: Apenas como um modismo alimentado pela mídia.

Ao perguntar se: Os homens sempre expressam sua sensibilidade?

Os entrevistados do Grupo A responderam que não expressam, ou há uma certa dificuldade em expressá-la e um deles completa: As mulheres tem os meios de reconhece-la!

Os entrevistados do grupo B , ao contrário, afirmam que sim; somente um deles ficou em duvida e depois disse: Creio que para o homem seja muito mais difícil, não por preconceito, e sim por herança cultural.

O que toda mulher deveria saber em relação aos homens?

Alguns, do Grupo A, disseram, rindo, que o futebol é importantíssimo, bem como os comentários esportivos; portanto , toda mulher deveria saber isso. Outros ressaltam o sentimento e entre eles: os homens são pessoas normais, como elas , tem sentimento, choram, querem encontrar a pessoa certa e , logicamente, o mais difícil: tentar ser feliz.

Para os entrevistados do Grupo B, as mulheres deveriam saber que é importante, para eles, ter um tempo para sair com os amigos: às vezes , somente queremos realizar nossas idiossincrasis, nada mais. Outro afirma que a mulher deve descobrir sobre ‘seu homem’. Cuidado com as generalizações. Poucos ressaltam o futebol e um diz com ênfase: Futebol é sagrado!!! Completando depois com seriedade: Talvez entender a simplicidade do homem, falar mais claramente sobre sentimentos de ambos, entender que não passamos de crianças grandes. Outro afirma: Não se pode entende-los , pensando como uma mulher.Um dos entrevistados foca a resposta na própria mulher: todo homem gosta de uma mulher que se valorize através de atitudes , seja vaidosa , mas ao mesmo tempo discreta.

Para finalizar , foram feitas duas perguntas a título de curiosidade:

A primeira foi:

Vemos muitos ‘veteranos’ se envolvendo com mulheres 25, 30 anos mais jovens. Depois de muitos anos de casados, deixam suas esposas ( não estou falando homens livres ou solteiros) por mulheres com a idades comparável a de suas filhas.

Que explicação você daria? O que eles buscam?

A reposta, dos homens do grupo A foi unanime: sexo.

Na opinião dos entrevistados do Grupo B , eles buscam novas aventuras e experiências. Um deles acrescenta: Mas não esqueçamos que as mulheres também estão evoluindo muito neste tema. E outro complementa: Eles buscam o mesmo que as mulheres buscam com homens mais jovens. A diferença e que a sociedade aceita um homem mais velho com uma mulher mais nova com mais facilidade do que quando é o contrário.

A outra pergunta foi:

Por que a maioria doa homens cai na tentação e traem suas parceiras , ainda que esporadicamente:

As respostas do grupo A foram: para sair da rotina; por se julgarem machos; oportunidade aproveitada, dependendo de um momento ou situação: As explicações são as mais cínicas possíveis, mas o que muitos homens querem mesmo é uma boa farra!

Entre o Grupo B , s respostas giraram em torno de : sexo sem problemas, problemas no relacionamento om suas parceiras, sensação de liberdade e poder. Um deles comenta não haver necessidade de traição quando a relação é saudável, enquanto outro faz a observação: Penso que , neste quesito, as coisas estão se igualando : então , devolvo a pergunta e nego até a mote. Uma outra opinião que merece se citada é : o homem quando traí no seu ponto de vista o faz sem maiores consequências e não impacta seu relacionamento com sua parceira.Para a mulher trair há um comprometimento muito grande; grande suficiente para superar a reprovação da sociedade.

É interessante analisar as reações. Durante as entrevistas, percebi, entre os jovens, um que sente saudades da Rainha do Lar, embora nunca tivesse convivido, maritalmente , com alguma .Outro homem, com o dobro fa idade, que com uma delas conviveu, simplesmente abomina a tal Rainha , afirmando que eram vazias, chatas e não tinham assunto: as famosas “ cri-cri “. Que só sabiam falar sobre crianças e criada. Outro , nas faixa dos 45 e, no segundo casamento, mantém a posição de que a mulher de se preocupar somente com o lar, pois nele há trabalho em demasia para que ela tenha que se preocupar em buscar sustento também. Essa função cabe ao homem.

As respostas dos homens com mais idade são mais minuciosas que as dos jovens. Estes são objetivo e diretos.

A educação familiar foi considerada , pela maioria , de relevante importância para o futuro dos filhos.

Em relação à mulher ideal, observei que o companheirismo e amizade são fundamentais para todos eles.

Os homens temem traição, na sua maioria. Desejam ser: respeitados , valorizados, reconhecidos e amados, como todo ser humano e, em especial, por suas parceiras.

Foram dados ensinamentos importantes, que deveriam perdurar em todas as épocas, no que diz repito ao relacionamento conjugal; entre eles, destaco a manutenção do namoro como fonte de harmonia entre o casal. Dessa maneira em estará atento em elogiar, dar atenção e contribuir com o outro, em várias situações.

Deixo para você concluir sobre a razão das mais frequentes queixas masculinas, em relação à mulher atual – a feminilidade – colocando algumas hipóteses.

  • Toda opressão e preconceito só mudam por meio de uma grande revolução. Com o passar dos tempos, novos modelos de sociedade vão surgindo e se estabilizando. Foi o que aconteceu a partir da famosa queima dos soutiens. Foi necessária uma verdadeira revolução que chamasse a atenção para que as mulheres fossem ouvidas.
  • Quanto à mulher profissional, de inicio , para que pudessem se impor e, assim , garantir um lugar no mercado de trabalho, elas copiaram o modelo já existente, ou seja, seguiram o padrão , o único existente: o masculino. Passaram , então , a usar terninhos e impostaram a voz.

Com a diversidade de tarefas e o acumulo de responsabilidades, a mulher está sobrecarregada em suas funções. Inda há homens que apoiam totalmente a mulher pós- moderna, desde que  infelizmente:

  • Ela seja esbelta ( haja academia!)
  • Seja bem sucedida profissionalmente ( haja desenvoltura!)
  • Esteja atenta a tudo o que diz respeito ao lar ( haja folego!)
  • Seja dócil às suas opiniões e não os contrarie ( resgate a Amélia!)

E , além de tudo , podem ser gordos!

Homens e Mulheres são seres humanos iguais. Tanto um quanto o outro, tem emoções, sentimentos, desejos, sonhos, ambições, medos, etc e são iguais em todos os direitos de um cidadão. O importante é respeitar as naturais diferenças e perceber que já é ultrapassado o dito popular: por trás de um grande homem há sempre uma grande mulher, o que também é válido para o caso contrário. É o momento de juntos – homens e mulheres – lutarem por adotar um novo slogan : Grandes Mulheres e Grandes Homens caminham lado a lado.

Deixe o seu comentário